Escolha uma Página

Como identificar um relacionamento tóxico 

Um relacionamento tóxico é chamado assim porque estabelece uma reação química, viciante nas pessoas envolvidas.

Leia até o fim.

relacionamento tóxico

Um relacionamento tóxico é chamado assim porque estabelece uma reação química, viciante nas pessoas envolvidas.

E tudo o que vicia, tira, (mesmo que no seu inconsciente) a vontade de se livrar disso, você se torna dependente. 

Muitas vezes a aceitação da relação tóxica vem de conceitos do tipo: “Ahhh, todo homem é assim mesmo” ou “Toda mulher é louca mesmo” ou e por falta de referência do que é uma relação entre pessoas saudáveis a pessoa vai aceitando por achar que será para sempre assim.  

Uma grande evidência de um relacionamento tóxico é quando a outra pessoa interfere negativamente na sua auto estima, na maneira como você se vê, na maneira como você vê o mundo e na sua felicidade.

Reflita: desde quando você iniciou o relacionamento com essa pessoa, você tem melhorado?

Ou se sente cada vez mais pra baixo, desmotivado e com medos?

Entenda que viver momentos de baixa e de tristeza é natural, mas quando essas reações se tornam progressivas e pioram a cada dia, esse tende a ser um relacionamento tóxico.  

Pode ser difícil identificar se você vive em um relacionamento que não é saudável.

Por isso, aqui trarei alguns sinais para que você identifique mais facilmente se vive em um relacionamento assim.

Você está em um relacionamento tóxico quando:  

1- A pessoa menospreza os teus gostos, as coisas que você gosta de fazer.

Às vezes ela dá a entender que você não vai conseguir alcançar os seus objetivos, seja no trabalho, um curso, dieta…

A pessoa fica muito feliz quando te convence a fazer o contrário que você queria ou quando você muda de ideia para fazer o que ela queria.

Por exemplo: Você está buscando emagrecer e a pessoa fala:

“Vai começar com isso de novo? Você sabe que não consegue, pare de tentar”;

 2- Se a pessoa trama para que ela sempre esteja com você ou briga, faz chantagem se você fala sobre sair sozinho(a), essa situação também é tóxica. Isso significa que ela fica mal em qualquer sinal de independência sua.

Por exemplo: Quinta feira tem o happy hour do trabalho e a pessoa reage da seguinte forma: “É assim mesmo, você prefere os seu amigos do que a mim”;

3- A pessoa não respeita a sua individualidade.

Ela associa individualidade a traição. Não há o respeito dos seus momentos sozinho. Por exemplo, ela vasculha, roupas, celular, bolsa tentando encontrar algum motivo para te confrontar…

4- Você sente medo, fica com crise de ansiedade, (vive pisando em ovos) quando vai conversar com a pessoa sobre coisas do casal.

Sua frio, tem dor de barriga, tremedeira, coração acelerado…

Pois sabe que cada conversa com ela irá te desgastar muito ou terminar em briga.

Por exemplo: Você sabe que toda DR termina em gritos e nas frases:

“Não quero falar sobre isso”

“Você de novo com esse assunto?”

Essas reações são constantes; 

5- A pessoa te insulta por qualquer motivo, por qualquer coisa.

Quando você erra é insultado e humilhado por muito tempo.

Quando a pessoa está errada, ela não pede desculpa, ela ri, ou fala de uma vez que você errou também.

Por exemplo: Você deixa um copo cair no chão  e a pessoa diz: “Você não faz nada direito” ; 

6- Estar sempre tentando te deixar em estado de alerta e inseguro, ameaçando terminar.

Agindo assim, ela está fazendo chantagem emocional. Alguns exemplos disso são:

“Se você não parar com isso eu vou terminar com você”,

“Eu sou muito bom para você, deveria arrumar outra pessoa melhor”

7- Medo excessivo de perder a pessoa.

Um relacionamento deve ser leve e não um peso.

Então, se constantemente você está com medo e quer prender a pessoa a você, essa pode ser uma relação tóxica.

Por exemplo: A pessoa acata tudo, assume todas as responsabilidades por querer evitar brigas e DR´s.

8- Relação de ameaça e culpa.

Você se sente culpado de querer fazer coisas que a outra pessoa não permite. Assim, não se posiciona e acata tudo o que a pessoa diz, inclusive situações desconfortáveis.

Por exemplo: Vocês estão em uma roda de amigos e seu amor começa a tirar sarro do mal desempenho sexual que você teve.

Sua reação é sentir tristeza e culpa. 

9- Último tópico e o mais extremo: Agressão física.

Esse tipo de atitude, é o mais visível quando se trata de relacionamento abusivo.

Caso você for mulher e sofreu ou sofre com isso, imediatamente ligue 180.

Caso você for homem e passa por isso, procure a polícia local. 

 

E Nicolas, se o relacionamento tóxico é tão dolorido, por que permitimos o outro ser tóxico conosco? 

Para explicar melhor sobre isso, quero trazer uma reflexão da psicanalista Maria Homem.

Vamos voltar para quando nós, ainda bebês, não sabemos nada.

Aos poucos vamos aprendendo a respirar, engolir, pedir coisas, andar… mas o outro (nossos pais, cuidadores) já sabem tudo isso.

Sempre tem um “outro” que sabe algo que eu não sei.

Nossa reação primária é de não saber e se espelhar no outro que me dá a imagem do que eu deveria ser e do que eu deveria alcançar. 

O outro é aquele que sabe, cuida e me manipula. Nós estamos na mão do outro.

Estamos sempre na posição de nos deixar dominar porque em algum lugar (mesmo que inconsciente) o outro sabe mais que nós. 

E por o outro saber mais que nós, damos o “poder” para que ele nos guie.

E isso tem haver o que eu falei anteriormente. A criança permite ser guiada pelos outros.

Quando nos tornamos adultos e não cortamos essa ligação infantil, podemos refletir essa mesma estrutura nos nossos relacionamentos.

É por isso que mesmo quando percebemos que estamos confusos, com baixa autoestima e com medo, temos dificuldade em nos posicionar, pois algo em nós diz que o poder de decisão é do outro. 

Como por exemplo, situações em que o outro te ofende, humilha, menospreza e tenta, de todas as maneiras colocar a culpa em você.

E você, mesmo sabendo disso, acata e assume a responsabilidade pelo erro do outro. 

Em situações assim, é comum a pessoa dizer:

“Você é chata, surtada, louca e por isso que eu gritei com você na frente da sua mãe. Você me provocou e por isso eu tive que fazer isso.”

ou

“Eu te puxei no meio do shopping porque você não estava prestando atenção em mim”

ou

“Eu te deixei sozinho no churrasco, porque você estava fazendo eu passar vergonha”.

Vivenciando essas situações e não tendo cortado o vínculo infantil, é comum a pessoa pensar:

“O que será que eu fiz de errado?”,

“Porque eu não sou o ideal?

“Por que eu não sou aquilo que ele(a) espera de mim?”,

“Onde foi que eu falhei?”. 

Quero trazer nessa aula uma notícia, de um caso que aconteceu no RS, bem extremo disso, pra você entender melhor:

Uma moça levou 5 tiros do namorado e sobreviveu.

No dia do julgamento, ela foi e pediu para o juíz se podia beijar o namorado. O juíz negou.

Mesmo assim ela se levantou, furou a barreira e deu um beijo nele e disse que foi ela que havia errado, que ela tinha provocado.

Vou deixar o link da notícia aqui para você.

Muitas pessoas assumem a responsabilidade, mesmo não sendo sua, dizendo que erraram, que mereceram aquilo para não perder aquele ser que para elas detém o “saber”.

Para muitos, esse ato de assumir a culpa, a responsabilidade é um ato de amor. 

E eu quero que você se atente ao que irei te falar agora.

Existem algumas maneiras de identificar e prever uma pessoa que tem tendência a ser tóxica. 

Se atente a maneira que a pessoa julga o mundo, para prever um relacionamento tóxico. 

  • Como ela fala de outras pessoas, por exemplo, sempre é ofensiva e se acha superior às demais, tem uma atitude dominadora, tem um ciúmes doentio.  
  • Como ela reage a notícias de abusos, por exemplo, diz: “Ahh, a pessoa deve ter feito algo para merecer isso”
  •  Se é uma pessoa com muitos preconceitos;
  •  Julga outras pessoas e condena;
  • Não cede nunca; 
  • Não respeita as demais;

Caso você se identifique como sendo uma pessoa tóxica.

Primeiro, tenha calma. Você não tinha acesso a esse conteúdo antes e ainda existe um tabu muito grande em falar sobre isso.

Agora, tendo consciência disso, descubra o que faz você querer ter todo o controle, menosprezar a outra pessoa na relação, ser possessivo, invalidar as atitudes do seu amor, fazer chantagem emocional para atender as suas vontades…

Busque ajuda psicológica, muitas vezes estas reações estão associadas, como eu falei nessa aula, a traumas e\ou uma ligação infantil não cortada. 

E caso você seja a pessoa oprimida em um relacionamento tóxico, é hora de ter coragem e reagir.

Comece buscando por terapia, assim você irá se fortalecer para quebrar o padrão de opressão que você tem vivido.

Depois você terá que fortalecer os 3 pilares que eu considero básicos para se ter uma vida saudável: corpo, mente e espírito.

Dessa forma você terá mais clareza mental e poder de escolha para lidar com a situação em que você se encontra.

Quem gostou desse artigo também pesquisou:

Como salvar um namoro que está quase no fim

Como salvar um namoro que está quase no fim

Como salvar um namoro que está quase no fimDicas para salvar um namoro que está quase no fimLeia até o fim.Quando você se depara com uma infiltração em sua casa, você tem duas opções: a primeira é não fazer nada e ir adiando e adiando a solução daquele problema; Ou...

Como salvar um relacionamento que caiu na rotina

Como salvar um relacionamento que caiu na rotina

Como salvar um relacionamento que caiu na rotinaAprenda como salvar um relacionamento que caiu na rotinaLeia até o fim.Quando um relacionamento chega ao fim, é muito difícil colocar a cabeça no lugar. Por isso é muito comum se sentir: Perdido Confuso Com medo Com...

Como salvar um relacionamento que caiu na rotina

Como salvar um relacionamento que caiu na rotina

Como salvar um relacionamento que caiu na rotinaEntenda o que fazer para salvar um relacionamento que caiu na rotinaLeia até o fim.O desgaste dentro do relacionamento é algo bem comum de acontecer. Quando o casal se distancia, geralmente isso é fruto de um...