Escolha uma Página

Como superar o término do relacionamento

O manual completo para que você supere o término do seu relacionamento, deixe seu ex no passado e siga em frente

Leia até o fim.

Como superar o término do relacionamento

Durante o relacionamento desenvolvemos um vínculo muito forte com a pessoa que amamos.

São sonhos, objetivos e expectativas criados a partir do momento que decidimos que é com aquela pessoa que queremos partilhar a vida.

Quando este relacionamento termina, é como se o chão sob seus pés fosse arrancado.

Tudo o que você acreditava ou planejava vai por água abaixo e você se sente rejeitado, triste, perdido e confuso

E por que eu sei de tudo isso? Porque meu amigo e minha amiga, eu já passei exatamente por isso.

Após o término do meu primeiro relacionamento eu me vi completamente sem chão e demorei meses para conseguir me reerguer.

Na época eu acreditava que aquele estava sendo o pior período da minha vida, mas a verdade é que foi essa experiência que me fez virar a chave e fazer com que eu me tornasse quem eu sou hoje. 

Mas eu precisei ter algumas atitudes para sair da onde eu estava.

Foi a partir deste término que eu passei a estudar sobre relacionamento e comportamento humano e desvendei o que realmente funcionava.

Hoje eu atendo pessoas do mundo inteiro que precisam de ajuda para superar esta fase. 

Para também te ajudar com isso criei uma lista dos tópicos que considero essenciais para superar Leia com atenção, pois dentre os assuntos respondo várias das dúvidas comuns que chegam para mim nas caixinhas de perguntas lá no meu insta @nicolascorrea.com.br e nas minhas mais de 700 mentorias anuais. 

Então, aqui você vai aprender:

  • Como esquecer o ex
  • Por que meu relacionamento acabou?
  • Como parar de pensar no ex e evitar recaídas
  • Como superar tendo filhos
  • Quanto tempo leva para superar?
  • Como lidar com a tristeza e com a saudade
  • Como saber que eu superei
  • Devo me envolver com outra pessoa agora?

Como esquecer o(a) ex?

Como esquecer o ex?

Não queira esquecer e sim superar!

Começo falando isso porque há uma grande diferença entre esquecer e superar.

O que vou compartilhar a seguir pode ser simples, mas faz toda diferença para a interpretação do nosso cérebro.

Primeiramente, não há como esquecer alguém que passou por nossa vida.

Apenas se acontecer algum transtorno mental ou acidente que atinja a memória. Sendo assim, todos que passam por nossa vida são registrados pelo nosso cérebro. 

Compartilho isso pelo motivo que de agora em diante você vai substituir o termo esquecer, por superar.

Esse simples ato fará com que seu cérebro realize a interpretação correta do que você quer e realize o seu pedido no decorrer do tempo.

Teve um acontecimento na minha vida que definiu o motivo pelo qual passei a usar superar ao invés de esquecer e vou compartilhar com você: 

Quando comecei meu 3º relacionamento, em janeiro de 2016, tudo o que havia passado nos dois primeiros foi essencial para ter maturidade e posicionamento para iniciar esse relacionamento. 

Na época, quando terminei meus dois primeiros relacionamentos realmente queria esquecer tudo o que já havia acontecido por ter me machucado muito, mas eu tive um estalo:

“Se eu realmente tivesse esquecido tudo o que vivi nos dois primeiros relacionamentos, jamais teria maturidade para iniciar esse terceiro relacionamento” 

Foi a partir desse estalo que comecei a enxergar o relacionamento como algo muito maior do que apenas se relacionar com outra pessoa.

Temos um olhar muito restrito com relação ao outro.

O outro é um ser independente, tem vida própria e está ao nosso lado porque quer.

Isso pode parecer óbvio, mas no decorrer da nossa trajetória em um relacionamento podemos perder a noção da individualidade do outro e vê-lo apenas como um objeto útil para suprir as nossas necessidades.

Isso faz com que, após o término  nos sintamos abandonados, desprezados e rejeitados.

O que não é verdade. 

O que acontece é que você não controla o querer do outro.

Ele toma as decisões sobre o seu próprio caminho, o que é o melhor para ele, ou seja, se o outro terminou com você, não foi com o objetivo de te rejeitar, apenas escolheu o caminho que para ele, fazia mais sentido. 

Claro, podemos influenciar o outro a tomar algumas decisões, mas é o outro que vai decidir sobre a vida dele. E isso assusta, pois não temos nenhum controle sobre a vontade do outro. 

Vivemos, muitas vezes, achando que temos posse sobre o outro. 

Entenda que por mais que o seu relacionamento tenha durado 10, 20 ou 30 anos, a pessoa não te deve nada.

Cada ser humano é único e as pessoas podem sim mudar. Nós somos compostos por um universo de ideias, crenças e histórias que se acumulam.

Então, enxergue o outro como seu complemento, não sua posse, e comece mudar suas atitudes. 

Você pode influenciar, mas jamais pode interferir no livre arbítrio da outra pessoa. Deixe o outro ir e seguir seu caminho.

E o mais importante, use o tempo a seu favor para se fortalecer. Tenha no coração os seguintes pontos: reconheça a sua realidade que sua relação acabou, respeite o seu momento, não julgue o outro e se fortaleça. 

Esses pontos são muito importantes neste processo e em cada um deles você pode se perguntar, se questionar, por exemplo:

Na etapa de reconhecer a realidade, se pergunte: o que está no meu controle? O que eu posso fazer diante da realidade? Perceba que são questões que te fazem pensar de forma racional, com clareza. 

Respeitar o momento é compreender e acolher o que está sentindo. Vale se perguntar: o que eu estou sentindo? Por que estou sentindo isso?

O terceiro ponto é não julgar. Pratique a empatia e reflita: como eu me sinto quando sou julgado? Porque estou apontando o dedo para o outro?

Na última etapa você deve se fortalecer agindo, então se pergunte: “O que eu gosto de fazer?”, “O que me faz feliz?”, “como eu posso me organizar para incorporar na minha rotina atividades que me fortalecem?”

Por que meu relacionamento acabou?

Por que meu relacionamento acabou?

Existem inúmeras razões para que um relacionamento chegue ao fim. E aqui eu irei listar os principais para que você tenha consciência de qual ou quais foram os motivos do seu término. Mas, segundo meus estudos, a característica principal do fim de um relacionamento, é a perda de admiração

Quando o casal deixa de nutrir algo essencial para a relação, inicia um efeito dominó que se não corrigido, termina com uma separação dolorosa. É como parar de regar uma planta, a terra começa a secar, depois as folhas caem, os galhos começam a quebrar e por fim, a planta morre.

A perda da admiração se compara com o parar de regar uma planta, ou seja, quando você começa a perder admiração por seu amor, as coisas começam a ficar mais distantes, frias, sem conexão, sem sentido, até que vem o término. 

E atenção aqui: é muito difícil você manter um relacionamento a longo prazo por alguém que você não admira. Isso é uma das bases de uma boa relação.

E existem inúmeros motivos para que a admiração se perca dentro de uma relação e consequentemente, o término aconteça. Aqui estarei listando os principais motivos. 

 

Falta de cumplicidade

Cumplicidade é apoiar o outro em suas decisões sem tentar interferir em suas ideias ou crenças, aceitar os limites do outro, saber ouvir o que o outro tem a dizer, mesmo que você não concorde, dividir o espaço sem romper seus limites, trocar experiência e não competir entre si.

 

Falta de diálogo 

Relacionamento é um eterno diálogo, isso é inquestionável. Falta de diálogo gera insegurança e fere a confiança e a conexão. Isso pode acontecer por falta de satisfação, saída com os amigos sem avisar, continuar com a vida de solteiro mesmo namorando, ir à festas escondido…

No fim, o casal não conversa sobre as coisas que incomodam, levam de barriga o que precisa ser resolvido por medo de conflito (vivem pisando em ovos) e assim acumulam toda aquela insatisfação, até estourar.

Outro ponto é a falta de diálogo com relação aos gostos, ou seja, seu amor não identifica o que você gosta ou deixa de gostar e isso acaba gerando um esfera de insatisfação.

Outras consequências pela má comunicação:

  1. Você não dava atenção e não buscava entender quando seu ex falava;
  2. Dava muitas indiretas, mesmo em situações simples;
  3. Não era claro e direto ao falar;
  4. Não valorizava as pequenas ações dele(a)r;
  5. Ficava muito no WhatsApp, deixando a pessoa de lado;

 

Falta de Intimidade

Isso acontece quando o casal não prioriza os momentos juntos. Começa a se ter um distanciamento da intimidade, como falta de beijo, toques e sexo por longos períodos.

 

Falta de cuidados e zelo 

Este ponto vem principalmente do pensamento: “agora que (garanti) não preciso mais me cuidar e nem conquistar mais a pessoa amada”.

E a partir disso começa a despreocupação com coisas básicas como: fazer as necessidades fisiológicas de porta aberta, não se preocupar com a higiene do corpo e deixar calcinha e cueca sujas no banheiro.

Mesmo sabendo que peidos são algo natural do ser humano, fazer isso a todo momento na frente da pessoa, dá a sensação de desleixo, que precisamos evitar.

 

Insegurança

Insegurança nada mais é do que um fruto do medo. Medo de: perder seu parceiro; seu amor perder o interesse; terminar e sofrer pela dor do término de novo; não ser suficiente; se comparar; medo do fracasso; da rejeição ou de desistir. 

Isso se reflete principalmente em pessoas que se cobram demais ou querem controlar a situação a todo custo.

Vendo isso, conseguimos identificar as características de uma pessoa insegura:

  • Ciumenta de forma obcecada; 
  • Não vive sua individualidade e vive desconfiada;
  • Nos dias quando você não está tão bem, já são motivos para se levar para o lado pessoal e achar que é por causa dela;
  • Desencoraja nas suas ações e priva de sair com seus amigos; fazer suas atividades ou realizar seus sonhos.

Questionamentos comuns das pessoas inseguras: 

  • Está on-line por que?; 
  • Por que não ficou mandando mensagem para mim?;
  • Onde está e com quem?;
  • Por que essa pessoa te seguiu?;

Então, como podemos perceber, tudo isso gera uma relação desconfortável e tóxica a longo prazo, o que reflete diretamente na falta de admiração. 

 

Perda de identidade e essência:

A pessoa com quem você se relacionou te admira por quem você é, isso é claro, e no momento em que você deixa sua essência de lado para viver a vida da outra pessoa, há perda de individualidade.

Com isso, seu amor não reconhece mais você e perde a admiração. 

Lembre-se que ser flexível por algo, é comum e às vezes necessário.

Mas esquecer de si mesmo, dos seus sonhos e metas pessoais, isso é um sacrifício do seu próprio eu e da sua relação, jamais dará certo.

O oposto também é verdadeiro, ou seja, você com seu jeito possessivo e controlador pode fazer seu ex  perder a identidade, não a deixando ser quem realmente é, sem mais amigos nem familiares próximos.

Isso gera confusão e afeta diretamente o relacionamento.

Para que você identifique se passou por isso, trago algumas situações que quem convive com pessoas possessivas pode enfrentar:

  • Chantagem emocional para sempre conseguir o que quer;
  • Pessoa altamente controladora e que quer tudo do seu jeito na relação;
  • Pressão, pessoas que fazem ameaças para conseguir o que querem;

 

Problema externo afetando a relação 

Seu mal desempenho ou desgosto com o trabalho, alguma crise que o mercado de trabalho vive, crise que sua empresa passa, o cenário de pandemia, tudo isso são problemas que trazidos para dentro da relação, podem interferir seriamente.

Por exemplo:

Os familiares da mulher interferem diretamente na tomada de decisão dela e ela permite, não se posicionando.

Desinteresse do crescimento como pessoa e/ou profissional 

No início da relação há uma busca por amadurecer, se esforçar para melhorar como pessoa, ambos buscam cursos, há uma ambição profissional para crescer na empresa, abrir o próprio negócio, ambição pessoal com metas e sonhos. 

Mas o tempo passa, e no decorrer da relação um começa a buscar mais que o outro, um se torna mais interessado na busca de autoconhecimento do que o outro e isso começa a criar uma distância intelectual entre o casal.

Como consequência dessa distância, surge a falta de admiração, porque a pessoa que evolui começa a ver alguém estagnado e isso gera insegurança\medo da pessoa que está parada não ter condições de acompanhar o ritmo de vida.

 

Pessoa que não escolhe amar 

Estar com alguém, amar, exige uma decisão constante de atitudes que devem ser tomadas por ambos.

Amar é uma escolha constante para agir em prol do bem da outra pessoa.

Enquanto esperamos esse amor, jogando a responsabilidade de amar só para o outro, discussões e brigas serão comuns.

Sem o equilíbrio das ações realizadas pelo casal, o relacionamento começa a se tornar uma cobrança constante.

Isso vai das coisas mais simples como lavar a louça até as necessidades emocionais que ambos delegam um ao outro. 

Lembre-se: Amar é um verbo, significa AÇÃO.

 

Infidelidade

Chegamos a um ponto extremo, em que a desconfiança de uma possível traição ou a própria traição, geram a ruína do casamento.

Algo que era tão básico quanto a fidelidade, se torna um problema constante na mente de ambos.  

Podem existir outros muitos motivos, dependendo de cada pessoa e cada relação.

É importante que você tenha consciência dos motivos do fim do seu relacionamento para que você reconheça a realidade de que seu relacionamento realmente chegou ao fim.

Só assim você vira a chave e começa a dar os próximos passos rumo à superação.

Como parar de pensar no(a) ex e evitar recaídas

Como parar de pensar no ex e evitar recaídas

Eu quero que você preste muita atenção.

Aqui irei te falar tudo o que você deve retirar, ou mudar na sua vida caso queira realmente superar.

Eu chamo esses comportamentos, atitudes e elementos de âncoras mentais, ou seja, coisas que reforçam o seu ex na sua lembrança e fazem você não parar de pensar nele(a). 

Dessa forma, nesse momento eu quero que você evite as seguintes âncoras mentais:

  • Músicas do casal, de momentos especiais e ou\marcantes;
  • Fotos que estão nas redes sociais: arquive, se possível ou as exclua;
  • Fotos que estão na galeria, transfira para um pen drive ou computador;
  • Porta retratos, presentes, lembrancinhas: Coloque em uma caixa tudo o que está visível e guarde essa caixa em um local que você não veja;
  • Tente evitar, por enquanto, os locais que costumavam frequentar;
  • Mensagens (whats, face, insta) arquive ou exclua);
  • Saia dos grupos em comum com a pessoa;
  • Móveis: Mude a disposição dos móveis para desassociá-los do seu amor; 
  • Rotina: Altere, se possível, a sua rotina. Por exemplo:
  • Mude horário de almoço, café;
  • Mude a rota do trabalho;
  • Mude horário da academia;
  • Aparência: Quem sabe é momento de um novo corte de cabelo, barba (algo sutil);
  • Doe roupas antigas e compre novas roupas;
  • Atividades físicas e alimentação regrada para cuidar da saúde e do seu corpo;
  • Já pensou em contratar um Personal Style?;
  • Se os amigos estão falando, mandando prints e informações sobre o ex, se posicione da seguinte maneira: “nesse momento eu prefiro que você não me mande informações sobre ciclano, espero que respeite minha decisão”;
  • Oculte seu ex e os amigos próximos dele para evitar receber informações da pessoa. Caso, mesmo ocultado, você não se aguentar e ficar espionando, bloqueie a pessoa até você superar

E o que fazer?

 Crie novas experiências, como sair com um amigo para fazer uma trilha, ir a um barzinho, fazer cursos, conhecer novos grupos de pessoas.

Quanto mais experiências você criar, mais presente você estará nesta nova fase de vida. 

Aos poucos você substituirá o sentimento da saudade, da falta, por lembranças boas, ou seja, o seu ex fará parte da sua história e não do seu novo momento de vida. 

Respeite seus sentimentos, coloque tudo para fora.

Chore, fale, viva seu momento de luto após o término, remova as âncoras mentais da sua rotina, mas depois levante a cabeça e siga em frente.

Você é autor do seu movimento.

Eu reconheço que nem sempre é fácil fazer a análise do que fazer em determinadas situações, ainda mais nesse momento em que tantas coisas estão acontecendo.

No curso O Quarto Ato você encontrará tudo que você precisa para encarar essa fase, mas caso você sinta que precisa de um apoio, uma opinião sobre essa parte do processo, recomendo fazer uma mentoria comigo.

Nessa mentoria você vai poder contar o seu caso, e eu irei te dar a solução exclusiva para sua necessidade.

Tenho certeza que pode vir a ajudar a resolver o seu problema.

Como superar tendo filhos?

Como superar tendo filhos?

Havendo filhos, tenha consciência que foi o seu relacionamento que acabou e seu papel de pai ou mãe continua independente de você estar separado.

Não brigue na frente deles e trate bem seu ex na frente das crianças. Vocês são adultos e devem preservar os filhos desse momento.

Entenda, eles são benção e não tem nada a ver com isso.

Use palavras educadas, mas sempre num tom formal. Lembre-se que persuadir os filhos contra seu outro cuidador é crime e se chama “Alienação parental”, portanto, não faça isso.

Você apenas entrará em contato com o seu ex para falar exclusivamente sobre os filhos, evite estar situações em que vocês precisem interagir, pelo menos neste começo.

Caso realmente precise ir, tome as seguintes atitudes:

  • Cumprimente, mas se mantenha distante;
  • Se for perguntado sobre se vocês terminaram, responda apenas o essencial e mude de assunto;
  • Não leve outra pessoa com você apenas para provocar o seu ex;
  • Se ele(a) insistir em conversar, seja educado, mas diga que prefere não conversar neste momento;
  • Dê atenção total aos filhos.

Quanto tempo demora pra superar?

Quanto tempo demora pra superar?

Não existe um tempo certo para superar e se você ouviu isso em algum lugar, eu quero que você tire da sua cabeça agora. O tempo que você irá demorar para superar, é apenas seu.

De acordo com as suas vivências e o tempo de relacionamento.

Tenho alunos que superaram em dias, outros em meses e alguns em anos… o que realmente importa é você viver este processo por você, no seu tempo. 

Também evite comparar o seu período de superação com como o(a) seu(a) tem reagido após o término. Caso ele(a) aparente já ter superado, não caia na tentação de aparentar o mesmo.

Compreenda que neste momento você deve fazer o melhor por você.

Oculte ou bloqueie das redes sociais e siga com a sua vida. 

Como lidar com a tristeza e a saudade?

Como lidar com a tristeza e a saudade?

Uma das partes fundamentais do processo para superar é saber identificar quais são os sentimentos que você tem sentido.

Muitas vezes não conseguimos expressar claramente nossos sentimentos e ficamos ainda mais confusos e angustiados

O primeiro passo para melhorar isso é construir um vocabulário para sentimentos que seja realmente rico. Para começar vamos identificar o que é  sentimento e pensamento:

 Começando pelo Sentimento

No livro, “Comunicação Não Violenta” de Marshall Rosemberg encontramos um conceito bem interessante sobre o que é o sentir.  

É muito comum utilizarmos a palavra “sentir” sem estarmos expressando nenhum sentimento. Por exemplo: “sinto que não conseguirei ir até lá”, nesse caso a palavra “sinto” poderia ser substituída por “penso, creio ou acho”.

No geral um sentimento não está sendo claramente expresso quando a palavra sentir é seguida por: “que, como, como se”

Um Exemplo disso: “Sinto que eu deveria ir até lá”
“Sinto-me como um derrotado”

Quando é seguido por nomes ou palavras que se referem a pessoas.

Exemplo:”Sinto que Paulo tem sido bastante coerente”

Mas não necessariamente precisamos usar a palavra “sentir” para expressar um sentimento. Por exemplo, você pode dizer: “eu me sinto triste” ou “eu sou triste”

É muito importante que nós diferenciemos o que sentimos, do que pensamos que somos.

Por exemplo, dizer: “Sinto que sou um péssimo profissional” significa dizer algo que você pensa que é.

Agora, dizer: “Me sinto triste por não ter feito uma boa apresentação no trabalho” expressa o que você realmente está sentindo. 

Darei alguns exemplos. Você pode expressar um sentimento positivo, dizendo: estou me sentindo alegre, calmo, empolgado, encorajado, feliz, satisfeito, aliviado, criativo… Exemplo de uma frase: “Estou feliz por tudo ter corrido bem”.

Agora, você pode expressar um sentimento negativo, dizendo: Estou me sentindo confuso, chocado, desolado, fraco, amargurado, ansioso. Exemplo de uma frase: “Estou triste porque você está indo embora”. 

E agora falando do Pensamento:

As pessoas costumam sofrer mais pela imaginação do que pela realidade.

E isso acontece quando confundimos o que sentimos com o que pensamos que as pessoas acham de nós.

Por exemplo, quando você diz: “sinto-me incompreendido”, na verdade essa afirmação diz respeito a compreensão de outras pessoas sobre você, ou seja, é um pensamento seu. 

Segue alguns outros pensamentos comuns de quem está passando pela fase de superação:

Será que ele não me ama ou não tem mais sentimentos por mim?; 

Será que encontrou outra pessoa?;

Será que ele voltará pra mim?;

Será que ele vai me responder?;

Será que ela já me esqueceu?

Outro termo que também é muito utilizado por quem vive o processo de superar, é o “queria”. Por exemplo:

Queria que ele se arrependesse e viesse atrás; 

Queria que ela entrasse em contato; 

Queria que ele pedisse perdão; 

Queria que ela pedisse pra voltar;

Queria que ele me amasse.

E por conta desses pensamentos, vem o sentimento que eu mais percebo nas pessoas que vivem no processo de superar, é o medo.

São medos como: 

“Eu nunca irei ter alguém como ele”
“Não vou conseguir me relacionar de novo”

“Estou muito velho(a) para conhecer alguém”

“Serei sozinho(a) pra sempre”

“Ninguém vai ter as qualidades que meu ex tem”

“Nunca vou encontrar ninguém como ele/ela”

“Jamais alguém vai me compreender como ele/ela me compreendia”

“Ele/ela é tão carinhoso, bonito, onde vou encontrar outro parceiro desse? 

Aqui vale muito essa reflexão:

Esses medos são reais? Eles de fato podem acontecer? E se o que você mais temer virar realidade, o que pode acontecer? 

Depois de entender essa diferença, de pensamento e sentimento, e se questionar, você pode desenvolver um repertório de palavras que traduzem melhor os seus sentimentos, ter uma compreensão do momento que está passando e saber identificar a sua real necessidade. 

Mas como fazer isso na prática? 

Através de um diário.

Já é algo que eu venho fazendo desde 2016 e que é extremamente poderoso.

Escrever, por si só, já é uma terapia.

Mas quando escrevemos com sinceridade, descrevendo nosso dia, nossos sentimentos e reações, vamos criando mais consciência de como somos na realidade.

O diário nos permite acessar o nosso eu mais profundo e por conta dele podemos dar mais atenção às coisas que são fundamentais. 

Além disso, através do diário temos clareza sobre o que são sentimentos e o que são pensamentos, elemento muito importante na jornada rumo a entender nossas reações e necessidades. 

Então, minha recomendação para você é que você inicie ainda hoje o hábito de escrever em um diário.

Você pode começar reservando 5 minutos do seu dia, à noite, por exemplo, e descrever como você se sente, os seus pensamentos, reclamações e necessidades.

A constância desse hábito irá impactar muito positivamente a sua vida. 

Agora, se você é uma pessoa que não gosta de escrever, você pode por exemplo criar um grupo com você mesmo no whats e gravar áudios, você pode também se expressar artisticamente através de desenhos, da pintura, da poesia… escolha a melhor maneira para você e faça constantemente.

Uma frase que expressa muito bem tudo isso que eu venho falando é: “As emoções falam sobre a gente, mas também falam para a gente” perceba o poder disso. Então, a partir de agora você passará a ouvir as suas emoções.

Como saber que eu superei?

Como saber que eu superei?

Existem alguns sinais capazes de provar que oficialmente você superou o seu ex. Eu mapeei 7 dos principais. São eles:

1- As músicas, filmes, séries que vocês viam juntos, hoje não te causam mais incômodo;

2-  Você não sente mais desejo de stalkear (espionar as redes sociais);

3- Não te incomoda mais ver ou receber informações de que ele(a) está seguindo a vida;

4- Você não sente medo de beber e acabar mandando mensagem para ele(a);

5-  Você volta a se sentir bem quando está sozinho, sem ter pensamentos frenéticos do seu ex, aproveitando a sua solitude;

6- Você se sente mais animado em se permitir conhecer novas pessoas; 

7- Quando você encontra o seu ex na rua e isso não estraga mais seu dia.

Devo me envolver com outra pessoa agora?

Devo me envolver com outra pessoa agora?

Você já deve ter ouvido esse termo em algum lugar: quando a prefeitura é alertada para a necessidade de manutenção em uma pista, ela inicia a operação conhecida como “tapa buraco”.

Nessa operação, não se constrói novamente a pista, mas para amenizar o problema, apenas se tapam os buracos. 

Agora, aplicando para um relacionamento, o que é a relação “tapa buraco”?

É a relação que você pode iniciar logo após o término, com o intuito de “tapar” o buraco emocional que se abriu em sua vida.

Essa relação tem muito a ver também com o termo “Responsabilidade afetiva”, mas fique tranquilo que eu explicarei melhor no decorrer desse texto. 

Na maioria das vezes esta relação serve como a forma mais fácil que você encontra para preencher o vazio, suprir sua carência, por medo de ficar sozinho e por não saber lidar com as dores emocionais. 

Achar que poderá substituir a dor do fim com outro relacionamento é pura ilusão!

Procurar alguém em um momento, na tentativa de suprir uma fragilidade apenas apontará como você não está inteiro.

Aprenda a lidar com o fim e use este acontecimento como uma oportunidade de crescer e melhorar como pessoa.

Se você sente uma dificuldade muito grande em estar sozinho, foque na sua rede de apoio (amigos e familiares) e se necessário, procure um psicólogo. 

Agora, se por acaso você identificar que seu ex se envolveu em uma relação tapa buraco, tenha claro duas coisas.

Primeiro: isso é uma escolha dele(a) e não tem nada a ver com você. Você não deve mais satisfação para a pessoa, nem a pessoa sobre você;

Segundo: Mantenha-se em contato restrito.

Caso, mesmo com o contato restrito a outra pessoa insistir em conversar com você sobre esse novo relacionamento dela, você pode se posicionar da seguinte maneira:

“Fulano(a), da mesma forma como eu respeito suas novas escolhas, eu gostaria que você me respeitasse na minha escolha de não manter contato com você. Agradeço a compreensão.”

Caso a pessoa continue insistindo nesse sentido, eu recomendo que você bloqueie a pessoa.

“Então, Nicolas, quer dizer que eu não posso me envolver com mais ninguém a partir de agora para não se tornar uma relação tapa buraco? Não. Não é isso que eu quero dizer. Eu só quero que você tenha a consciência de que pelo seu momento de vida você pode ter a tendência em buscar substituir sua dor pelo afeto de outra pessoa. 

Permita-se sim conhecer novas pessoas, novas realidades, histórias, pois isso é essencial para esse momento de superação, mas caso você perceba que essa relação pode-se encaminhar para algo mais sério e você se sente abalado pelo término, tenha a consciência de ser claro com a outra pessoa sobre o seu momento de vida atual.

Eu te convido a se tornar meu aluno no curso da fórmula da reconquista 3.0 clicando aqui. 

Eu também posso te ajudar das seguintes maneiras:

Curso O Quarto Ato para quem quer superar o fim do relacionamento: 

Curso Relacionamento Extraordinário para quem quer salvar ou melhorar a sua relação: https://nicolascorrea.com.br/livro-salvar 

Curso Saindo da Friendzone para quem quer transformar amizade em namoro: https://nicolascorrea.com.br/friendzone 

Mentoria de 1 hora, para você fazer uma videochamada comigo, me contar sua história e receber meu direcionamento particular: https://nicolascorrea.com.br/mentoria 

Também te convido a ser meu amigo nas redes sociais: https://www.instagram.com/nicolascorrea.com.br/

Quem gostou desse artigo também pesquisou:

Como conquistar o namorado

Como conquistar o namorado

Como conquistar o namoradoAprenda as ferramentas para chamar a atenção do seu namorado e conquistá-loLeia até o fim.Antes de tudo eu preciso que você dê uma olhada nesta pesquisa que eu realizei com meus alunos:  HomensMulheresVocê consegue perceber como os principais...

Como reconquistar seu ex namorado

Como reconquistar seu ex namorado

Como reconquistar seu ex namoradoO caminho para reconquistar seu ex namoradoLeia até o fim.Separei os principais tópicos que eu acho essenciais para quem quer reconquistar seu ex namorado. Por isso, preste muita atenção em todo conteúdo, porque com certeza fará...

Dicas para reconquistar a ex

Dicas para reconquistar a ex

Dicas para reconquistar a exSiga estas dicas certeiras para reconquistar a exLeia até o fim.Segundo os meus estudos, o que mais atrapalha o processo da reconquista, podendo até colocar tudo a perder, são os erros clássicos da reconquista.  Ao cometê-los você afasta...